Como é feita a cirurgia de correção de diástase abdominal

Essa cirurgia remodela suas curvas, deixando como você sempre sonhou.

Como é feita a cirurgia de correção de diástase abdominal
Cirurgia de correção de diástase abdominal. Foto:shutterstock.com

Cirurgia de correção de diástase abdominal. Foto:shutterstock.com


Ter um corpo escultural é o sonho de muitas pessoas, principalmente quando o assunto é abdome. Muitos pacientes praticam exercícios a fim de fortalecer essa região, mas apesar do esforço, nem sempre o objetivo final é atingido só com a atividade física.

Ter o abdome “chapado” é um processo que pode ser difícil e pode levar algum tempo. Isso é ainda mais complicado se o paciente for mulher e tiver passado por múltiplas gestações, que é a principal causa da diástase abdominal.

Cirurgias Plásticas Gengivais

O que pode tornar a cirurgia plástica mais segura?

Cirurgia plástica e exercícios físicos para boa forma

Essa condição pode desanimar a paciente que deseja ter o abdome acinturado, já que a diástase só é resolvida cirurgicamente. Além dos problemas estéticos causados pela diástase, isso pode ser uma barreira para a autoestima. A mulher passa se sentir desconfortável em usar uma roupa mais justa ou curta como um biquíni, por exemplo.

Cirurgias plásticas abdominais

Cirurgia de pálpebras

Novo estilo de vida após a cirurgia bariátrica

Apesar dessa condição parecer desanimadora, existem procedimentos estéticos que podem melhorar a sua forma. Para ajudar na diástase, o paciente pode procurar um cirurgião plástico e expressar o seu desejo de corrigir esse problema. Entenda mais sobre esse processo.

O que é a diástase abdominal?


A diástase abdominal é uma condição em que há um afastamento dos músculos localizados no abdome e do tecido conjuntivo, que ocorre após a gravidez ou após uma grande perda de peso. Essa é uma das principais causas de flacidez abdominal e de dor na região.

O afastamento desses músculos pode chegar até 10 cm de distância e ocorre pelo distanciamento do músculo reto do abdome devido ao crescimento da barriga.

Durante a consulta médica, o cirurgião irá fazer uma série de análises e exames para saber a dimensão da diástase e quais problemas essa condição pode acarretar. Em alguns casos mais graves, o próprio paciente pode sentir o afastamento dos músculos pressionando seus dedos no meio do abdome.

Esse problema pode gerar outras complicações, como dor nas costas e na região lombar. Quem tem esse problema, a chance apresentar hérnia de disco é maior.

Junto com o procedimento de correção da diástase, a paciente que tiver excesso de pele, pode procurar fazer uma abdominoplastia.
Para saber mais sobre a abdominoplastia, leia o nosso artigo e fique ligada nesse procedimento que pode mudar a sua vida.

O que é a abdominoplastia?


A abdominoplastia é um procedimento que remove a pele flácida do abdome, pois retira o excesso de pele da região, o que pode incluir estrias abdominais, dependendo da extensão do problema.

Nesse procedimento, são realizadas incisões na região do abdome, o que expõe os músculos abdominais. É nesse momento que o médico faz a correção da diástase, costurando e juntando os músculos separados.

Por fim, o médico retira a pele sobressalente e faz a sutura do abdome, agora liso. Para finalizar o procedimento o médico irá fazer uma pequena incisão para formar o umbigo. O corpo ganha um novo aspecto e fica mais acinturado, e ganha firmeza na região.
Mas não são todas as pessoas que são indicadas para esse procedimento.

Para quem é indicada essa cirurgia plástica?


A maior parte dos pacientes são ex obesos, mulheres que passaram por muitas gestações e não conseguiram retornar ao seu peso inicial ou que de alguma forma, tem flacidez abdominal.

Para quem tem estrias abdominais, a abdominoplastia pode ajudar em alguns casos. Se a paciente tiver excesso de pele suficiente, as estrias podem ser eliminadas durante a cirurgia, mas se ela não tiver excesso de pele suficiente, outros tratamentos minimamente invasivos, são recomendados.

Como é o pós-operatório?
Logo após essa cirurgia plástica, os resultados só poderão começar a ser notados a partir do 8 mês e o resultado definitivo, no final de um ano. Isso porque, após a cirurgia, o corpo da paciente estará muito inchado, devido ao processo pós cirúrgico. Entretanto, para ter resultados possam ser satisfatórios, é necessário que vários cuidados sejam tomados.

Ao realizar a operação é preciso manter o repouso por três semanas, sem esquecer de utilizar a cinta modeladora. A cinta serve para proteger a barriga e evitar o acúmulo de líquido na região. Ela também auxilia na compressão do abdome o que evita a propensão de seromas e inchaços.

Nos primeiros dias é importante movimentar o corpo de 2 em 2 horas. Isso vai ajudar a evitar a formação de coágulos e trombose.
É preciso dormir de barriga para cima e com as pernas dobradas. Se conseguir elevar a parte do tronco e as pernas, é melhor ainda.
É natural andar curvada nos primeiros dias, isso é causado pela sensação da pele estar esticada nas primeiras semanas.

Atividades físicas leves na academia podem ser retomadas após 2 meses de cirurgia. Atividades mais pesadas como ciclismo, natação e musculação são liberados 3 meses após a cirurgia, quando já não há nenhum risco de a incisão abrir durante o esforço.

É ideal manter uma alimentação balanceada, sem excesso de alimentos ricos em gordura e carboidratos. É indicado uma alimentação leve, como ovo ou grelhados. Procure comer frutas e tome bastante água. Evite legumes para diminuir a prisão de ventre, que pode causar dor abdominal.

Existe alguma contraindicação para realizar esta cirurgia?
Mulheres que desejam engravidar, são orientadas a ter as suas gestações antes da cirurgia e faze-la quando não se tem mais a intenção de engravidar. Como é retirado o excesso de pele, a aparência da pele pode ficar comprometida e o abdome não suporta grandes distensões, gerando grandes estrias.

Em caso de cirurgias anteriores e cicatrização hipertrófica, o resultado não deve ficar como o esperado. Por isso, pacientes nessas condições devem ter isso em mente. Pacientes tabagista são considerados pacientes de risco e devem se abster do fumo por pelo menos um mês antes e após a sua realização.

Para quem não tem excesso de pele, esse processo não é o mais indicado, nesses casos a lipoaspiração pode resolver o problema.
Gostou de saber sobre como é feita a cirurgia de correção de diástase abdominal? Comente o que achou! Para mais artigos como este siga nossa página e não perca mais nada.
Redação Portais da Moda
Portais da Moda - Dicas de Saúde e Beleza

Como é feita a cirurgia de correção de diástase abdominal

Deixe seu comentário

(Não divulgado)


Informe os numeros:









"As imagens presentes nesta matéria são reproduções de materiais já existentes. Caso tenha algum direito sobre as mesmas, entre em contato conosco para incluir os créditos ou solicitar a retirada."



FIQUE POR DENTRO