Alto Verão 2019 em grande estilo

Os destaques do Claro Rio Summer

Alto Verão 2019 em grande estilo
Em tecidos leves, cores adocicadas, comprimentos micros e com um leque de biquínis e maiôs luxuosos, entra em cena a moda do Alto Verão brasileiro. A temporada 2008/09, uma espécie de prenúncio de sol a pino, deu a largada no último final de semana com a primeira edição do Claro Rio Summer. Com a pretensão de atrair a atenção da imprensa estrangeira e fomentar as vendas externas (que, diga-se de passagem, deixaram a desejar) as marcas apostaram na dobradinha respeito ao DNA da grife adicionando doses de conforto e lifestyle carioca.

A julgar pelas coleções apresentadas nos paradisíacos cenários da capital fluminense, onde requinte, festa e natureza formaram uma só imagem, a moda do Alto Verão insere a categoria da praia para a balada ou da piscina para o happy hour. Não raro o macacão, com recortes e modelagem de jardineira, enfrenta o calor da estação coordenado com biquíni. O mesmo vale para as túnicas e vestidos longos com decotes sinuosos na parte frontal e costas. O top cortininha ou nadador funciona bem em ambos os casos. As peças agregam shapes mais soltinhos, com muita manga morcego ou sino, além de um leque extenso de bordados, fuxicos, tricôs e crochês (é o handmade mostrando sua força).

Para quebrar a descontração do clima praiano e encarar o asfalto, nada melhor que bijuterias. Grandes, diga-se de passagem. Os acessórios do Alto Verão nasceram sob o signo do exagero: colares longos e brincos em pencas, sem contar as pulseiras arredondadas e braceletes. Com o corpo mais à mostra, é possível inovar o look com acessórios poderosos. Já as rasteirinhas e chapéus são imprescindíveis na praia, piscina ou resort. Longe das areias, o salto alto (de anabela, meia-pata e peep toe) impera pelas ruas.

No reinado de algodões, sarjas, malhas e até tyvek da Osklen (que apresentou o material sintético de uma maneira fresca e inusitada), nada simboliza a mais a alta corte que biquínis e maiôs.

Alçado à categoria luxo, o beachwear renova seu repertório menos na modelagem e mais por força dos detalhes bem elaborados. Entram em cena nervuras, drapeados, torcidos e dobraduras.

Na tentativa de renovar o repertório do segmento, marcas pequenas e grandes se renderam ao apelo de ostentação, jogando por terra a mesmice de temporadas anteriores. O sutiã do biquíni se transforma em tops poderosos, miniblusas com mangas e acrescentam capas. Perfeitos para proteção contra chuviscos passageiros, alguns tops são versão em miniatura de túnicas com gola ombro a ombro e mangas em alguns casos. O darling da temporada é o maiô. Revigorado em tecidos leves como tules, chifons e rendas, a peça é o símbolo máximo na sofisticação do segmento praia, com drapeados, recortes estratégicos e brilhos inusitados. O modelo preto comportado é perfeito para ocasiões diversas. Na mesma linha, as saídas de praia se desdobram em poderosos kaftans de renda renascença ou em confortáveis calças modelo sarouel. Como verdadeiros objetos de desejo, os biquínis e maiôs brasileiros saíram da condição de mero produto, para consolidar o segmento beachwear nos principais eventos de moda do planeta. A nova estratégia tem garantido status aos estilistas e empresários que trabalham neste setor no Brasil, como tem chamando a atenção de compradores dos quatro cantos do mundo.

anterior próximo

Alto Verão 2019 em grande estilo

Deixe seu comentário

(Não divulgado)


Informe os numeros:





"As imagens presentes nesta matéria são reproduções de materiais já existentes. Caso tenha algum direito sobre as mesmas, entre em contato conosco para incluir os créditos ou solicitar a retirada."




FIQUE POR DENTRO