Glossário Textil

Glossário têxtil e tecidos

T

TACTEL ? FIBRA DUPONT SUDAMERICA S/A
tecido 100% poliamida, é um tipo de microfibra em cuja estrutura possui fios texturizados a ar que o capacita ser de alta secagem e alta transpiração. A fibra possui padrão internacional de qualidade dos fios Dupont. O Tactel é um tecido que não retém o suor e seca rapidamente quando exposto ao sol.

TAFETÁ
Tecido muito antigo, tem esse nome originado na palavra persa Taftan, com ligamento tafetá ou tela, geralmente feito com fios de seda ou filamentos químicos.

TALAGARÇA
Tecido de algodão com ligamento aberto, apresentando um aspecto furado, com acabamento engomado, próprio para aplicação de bordados.

TEAR
máquina usada para fabricar tecidos com linho e outras fibras. Fabrica-se um tecido em um tear, entrelaçando dois conjuntos de fios dispostos em ângulo reto. Os fios longitudinais chamam-se urdidura e, os transversais, trama.Com exceção da seda, todas as fibras naturais têm um comprimento limitado e, por isso, precisam ser enoveladas para formar fios que possam ser tecidos. A fabricação de tecidos exige vários passos. Inicialmente, as fibras da urdidura são colocadas no tear e tensionadas, formando uma superfície de fios paralelos muito próximos. Em um tecido simples, levanta-se um fio sim, outro não, e um dispositivo chamado lançadeira passa um fio da trama pelo buraco. Posteriormente, um pente aperta o fio da trama contra o da trama anterior para formar um tecido compacto. O tear manual é montado sobre um bastidor, que dá o suporte necessário para sustentar as peças móveis. O primeiro passo para a mecanização do tear foi a lançadeira volante, patenteada em 1733 pelo inventor britânico John Kay. Consistia num mecanismo de alavancas que empurrava a lançadeira por uma pista.

TEARES AUTOMÁTICOS
podem ser divididos em: a. Teares convencionais: quando a alimentação da trama é feita automaticamente por mecanismos especiais, como o mecanismo que efetua a troca da espula no interior da lançadeira quando o fio está prestes a terminar, e o mecanismo que efetua a troca da lançadeira quando a espula do fio está prestes a terminar. b. Teares sem lançadeira: i. Projétil ? também chamado de lançadeira de pinças, é uma pequena peça que arrasta a trama através da cala. ii. Pinças rígidas ? a trama é introduzida na cala por uma espécie de agulha. Existem teares com uma única pinça ou com duas. iii. Pinças flexíveis ? possuem duas cintas flexíveis de aço, uma em cada lado da máquina. iv. Jato de ar ? a trama do fio recebe um jato de ar e é jogada através da cala. v. Jato d?água ? a trama do fio recebe um jato d?água e é jogada através da cala. vi. Cala ondulante ? neste sistema, são inseridos 16 tramas ao mesmo tempo, equivalendo a cerca de 2.000 m por minuto.

TEARES ESPECIAIS
são em sua maioria automáticos, providos de mecanismos especiais para tecer determinados tipos de tecidos, tal como os teares de Maquineta jacquard, que fazem tecidos com grandes desenhos, podendo mesmo reproduzir figuras humanas em sombreado com relevo. a. Tear triaxial: produz tecidos com estabilidade em todas as direções: na horizontal e na vertical. Os fios de urdimento são enrolados em oito pequenos rolos e a trama é inserida por meio de pinças rígidas. b. Tear para felpas: com mecanismos especiais, são alimentados por no mínimo, dois rolos de urdume, um para o tecido básico e o outro para o tecido de felpa inteira (toalha) ou felpa cortada (veludo).

TEARES MANUAIS
atualmente são utilizados quase que exclusivamente para artesanato ou para a produção de novos artigos ou amostra não colocados na linha de produção.

TEARES MECÂNICOS NÃO AUTOMÁTICOS
são teares que não possuem determinados mecanismos de auxílio para o tecelão, tais como guarda urdume, parada por falta de trama e troca de espulas ou lançadeiras.

TEARES MECÂNICOS SEMI-AUTOMÁTICOS
são teares não automáticos que sofrem adaptações de mecanismos (guarda urdume) que auxiliam o tecelão e dão melhor qualidade aos tecidos.

TECIDO FIO TINTO
telas elaboradas com fios previamente tingidos. Os fios podem estar dispostos de diferentes modos e cores, tanto no urdume como na trama, para se obter o efeito de listras, xadrezes e maquinetados.

TECIDO PLANO
tecido formado pelo entrelaçamento de fios perpendiculares. No processo, os fios do comprimento ( vertical-urdume ) entrelaçam-se com os fios da largura ( horizontal-trama ) compondo o tecido.

TELA
construção de ligação do tecido plano, caracterizada pela simetria da distribuição dos fios na proporção 1 fio por 1 fio (entre urdume e trama). Esta construção em tela plana proporciona uma superfície plana e regular.

TENCEL
nome fantasia da fibra Liocel. Fibra celulósica proveniente da polpa de madeira de árvores que são constantemente replantadas e o processo químico utiliza um solvente totalmente reciclável, por isso chama-se de uma fibra ecologicamente correta. O Liocel representa a grande novidade entre as matérias-primas têxteis, possibilita um tecido que alia a resistência do algodão, o toque e a maciez da seda e o perfeito caimento e frescor das fibras celulósicas.

TERMOCOLANTE, ETIQUETA
etiqueta pronta que é colocada através de uma prensa térmica.

TEX
unidade fundamental do sistema métrico, direto de numeração de fiação. Representa o título de um fio em que mil metros pesam um grama.

TEXTURIZAÇÃO
a texturização é obtida com a união de filamentos contínuos e tem o objetivo de fornecer ao fio melhor textura e aparência, aumentando o aquecimento e a absorção e diminuindo a possibilidade de formação de pilling (bolinhas que se formam sobre o tecido).

TÍTULO OU TITULAÇÃO DOS FIOS
o titulo do fio é a relação entre a massa (m) e o comprimento (c) ou a relação inversa onde, dependendo do sistema, um deles (m ou c) é fixo e o outro variável. Os sistemas de titulagem são classificados em sistema direto e indireto. 1. Sistema Direto: este sistema tem a massa (em gramas) por comprimento (em metros) de fio, diretamente proporcional ? sua ?espessura?, ou seja, pode-se afirmar que quanto maior é a massa por comprimento de fio, mais ?espesso? ele é, e por isso são conhecidos por sistemas diretos de titulação, o que não significa que o título seja diretamente proporcional ao seu diâmetro. 2. Sistema Indireto:o sistema indireto de titulação toma como base ? massa fixa e o comprimento variável. Neste caso o número do fio é indiretamente proporcional a sua ?espessura?.

TOP
do inglês (alto, topo) é a parte de cima de qualquer roupa, miniblusa, jaqueta, camiseta, etc.

TOQUE DO FIO
o toque do fio Open End é muito inferior ao dos fios Anel. Isso ocorre em função das características construtivas descritas acima. O amaciante não consegue a mesma penetração no interior do núcleo do fio, quando comparado com o Anel.

TORÇÃO
ordenamento em espiral das fibras ao redor do eixo do fio. A torção enlaça as fibras e dá resistência aos fios. Dá-se em duas direções - torção em (S), para a direita, e torção em (Z), para a esquerda.

TRAMA, FIOS DE
série de fios em sentido horizontal que, ao unir-se com os fios do urdume, forma o tecido plano. É a largura da tela.

TRENCH-COAT
casaco em estilo militar, com ou sem cinto. Pode ser encontrado em vários tecidos como couro, sarja, veludo ou lã.

TRICOLINE
tecido de construção de tela com a leveza e a resistência do algodão penteado mercerizado, atende a um mercado cada vez mais sofisticado e exigente em tecidos leves, especialmente nos segmentos de camisaria.

TRICOTINE
Nome derivado da palavra tricot, é um tecido tipo gabardine de lã, usado para ternos

TUBIC
Tecido duplo que tem como característica a existência de um colchão de ar entre as duas camadas, resultando num isolamento da temperatura.

TUSSOR
Tecido leve, de seda.

TWEED
Tecido originariamente produzido na região de Tweed, Escócia, produzido com fios cardados de lã com duas ou mais cores, em ligamento tela ou sarja 2X2, muito usado para paletós e sobretudos.

TWILL
Tecido fino de lã com ligamento sarja.

TWIN-SET
conjunto, blusa e um casaco de material ou padronagens iguais.

FIQUE POR DENTRO