Ralph Lauren

Lauren começou do nada. Seu pai, um judeu ortodoxo, ganhava a vida como pintor de paredes e de murais. No violento bairro do Bronx novaiorquino, moravam os Lifshitz - pai, mãe, três filhos e uma filha. Para ajudar nas despesas da casa, ainda enquanto estudava, o futuro estilista trabalhou na área de devolução de peças de uma loja de departamentos.
Mais tarde, depois de servir o exército, foi vendedor da Brooks Brothers, loja de moda masculina, durante uma temporada de Natal. Na época, fazia um curso de administração de empresas, à noite, e quando terminou seu trabalho na loja, passou a vender luvas. Logo em seguida tornou-se o vendedor regional de Nova York para Abe Rivetz, produtor de gravatas de Boston. Assim começou a nascer o seu gosto pela criação de moda.
Eram 1964, as gravatas eram estreitas e Ralph Lauren chamava a atenção com as que usavam, que tinham 10cm de largura. Algumas lojas se interessaram pela novidade e ele, que não era um designer, mas tinha ótimas idéias, conseguiu convencer seu empregador a produzir algumas gravatas largas.
Os pedidos foram aumentando: as gravatas, em seda italiana, custavam o dobro das outras, porém vendiam sem parar. A invenção de Lauren foi descartada quando uma nova administração encarregou-se dos negócios da empresa. Ele se transferiu para uma companhia maior, também de moda masculina, a Bean Breenes, que decidiu criar uma marca para as gravatas - e Lauren buscou inspiração no sofisticado jogo de pólo.
Depois de vender, em 1967, US$ 500 mil em gravatas, Ralph Lauren começou a produzir sua primeira linha de roupas masculinas. Clássica, mas contemporânea, a coleção foi um sucesso. Em 1971, as mulheres começam a usarem Ralph Lauren, iniciando pelas camisas e logo chegando a um guarda-roupa completo, inspirado nos trajes ingleses de montaria. Mas, desta vez, a reação não foi boa - tudo era lindo, mas parecia uma versão feminina das peças para homens.
Em 1977, Ralph Lauren criou o figurino que a atriz Diane Keaton usou no filme Annie Hall, de Woody Allen, e viu suas roupas para mulheres ganharem o mundo. Um pouco antes, em 1974, um outro filme havia dado fama internacional a Lauren - todo o guarda-roupa masculino de O Grande Gatsby, com Robert Redford como astro principal, foi criado por ele.
Os anos 70 deram início a uma avalanche da grife Ralph Lauren, que passou a existir ao lado da Polo, com o lançamento de roupas infantis, perfumes, acessórios e, principalmente, sua home collection, linha de artigos para casa, de móveis antigos a lençóis, de delicados objetos de porcelana a preciosos tapetes orientais.
Dono de um império que continua a crescer ele se dá ao luxo de ter as casas com as quais sempre sonhou, assim como os carros, e de ter um padrão de vida que combina conforto, privacidade e exclusividade. Porém gosta mesmo é de vestir jeans surrados, camiseta básica ou camisa xadrez botas e chapéu de cowboy.

FIQUE POR DENTRO