Miuccia Prada

Revolucionou tudo o que vinha sendo feito até então, e impôs à moda uma nova cara.

Simples, discreto, usável, durável: assim pode ser definido o estilo Prada, que contribuiu decisivamente, na década passada, para fazer da Itália um centro de moda tão importante quanto Paris.
A marca é bem antiga, nasceu em 1913 na cidade italiana de Milão, pelas mãos de Mario Prada. Era uma loja que vendia artigos de couro de alta qualidade, de sua própria fabricação, mas atravessou muitas décadas sem alcançar a mesma importância de uma Fendi, ou Louis Vuitton.
Em 1985, assumiu a direção da empresa uma jovem de 28 anos, neta do fundador, era Miuccia.

Em lugar do couro, tradição familiar, ela usou o náilon Pocono, utilizado para fazer tendas militares e criou uma mochila. Foi um sucesso instantâneo: o mundo da moda, atendo às novidades, adotou a idéia Prada no ato, e a mochila virou objeto de culto, unindo beleza e resistência, exatamente o que os consumidores estavam querendo.

Enquanto as mochilas sumiam da loja de Milão, a maioria das marcas mais importantes do setor percebia que era hora de se reciclar.
A partir daí, Miuccia Prada, uma ex-militante comunista, não teve dúvidas: o que o fim do século queria era o fim da ostentação e qualidade sempre em doses maiores.

Aí vieram as roupas básicas, priorizando o tecido, o corte e o caimento, as roupas de aparência austera começaram a ser disputadas - e copiadas até pelos estilistas já consagrados internacionalmente. A estamparia utilizada pela marca ia buscar inspiração direta nas artes plásticas.
Os acessórios iam pelo mesmo caminho, mudando o estilo que se usava até então.

Miuccia soube criar a mística certa para fazer a sua grife ser desejada. Assim, sua empresa transformou-se em um império, produzindo moda feminina, masculina, roupas íntimas, roupas para a casa, além de cosméticos.
FIQUE POR DENTRO