Entenda os riscos de dores nos seios

entende algumas mastalgias e o que isso pode significar

Entenda os riscos de dores nos seios
Entenda os riscos de dores nos seios. Foto:Divulgação

Entenda os riscos de dores nos seios. Foto:Divulgação

A dor nos seios é chamada em medicina de mastalgia. Quando a dor na mama está intimamente relacionada à menstruação, ela recebe o nome de mastodinia.

A mastalgia um sintoma extremamente comum. Cerca de 60% das mulheres têm algum grau de mastalgia, mas poucas consideram esse sintoma importante o suficiente para procurar ajuda médica. Na verdade, apenas 1 em cada 10 mulheres que referem dor em um ou ambos os seios descreve a dor como de moderada a forte intensidade.

Na imensa maioria dos casos, a mastalgia não é um sinal de doença grave das mamas. Isso não significa, porém, que mulheres com dor mamária persistente não devam procurar seus ginecologistas para tentar esclarecer a origem da sua dor.

Dores e características. Foto:Divulgação

Dores e características. Foto:Divulgação



Principais causas de dor mamária cíclica



Dores leves ou pequenos desconfortos difusos em ambas as mamas são normais durante o ciclo menstrual e ocorrem em praticamente todas as mulheres em idade fértil. Este tipo de dor nos seios costuma surgir na segunda metade do ciclo menstrual, agrava-se dias antes da menstruação e desaparece assim que a mulher menstrua.

Quando esta dor cíclica relacionada ao ciclo menstrual é de intensidade moderada a forte, dizemos que a paciente tem mastalgia cíclica. As características são as mesmas de qualquer dor cíclica, mas o incômodo é tão importante que pode atrapalhar a vida sexual, social e as atividades físicas nos dias que antecedem a menstruação.

Outra causa comum de dor cíclica nos seios é a chamada doença fibrocística da mama. Apesar de ter doença no nome, essa alteração da mama não é uma doença de fato. São apenas nódulos císticos benignos que podem surgir na mama ao longo da vida devido a estímulos hormonais. Em alguns casos, estes cistos podem ser dolorosos.

Principais causas de dor mamária não-cíclica


Ao contrário das dores cíclicas, a dor mamária não-cíclica não mantém relação com o ciclo menstrual e costuma acometer apenas uma das mamas. Entre as causas comuns de dores não-cíclicas, podemos citar:
• Mamas muito grandes – o peso pode causar estiramento do ligamento de Cooper, que é a estrutura que dá sustentação às mamas.
• Mastite – inflamações da mama são muito comuns durante o aleitamento materno, mas podem ocorrer também em mulheres que não estão amamentando
• Traumas na mama – após lesões ou traumas, a mama pode apresentar dor não-cíclica por algum tempo.
• Ectasia ductal – essa alteração ocorre por dilatação e obstrução dos ductos mamários que transportam leite. A ectasia ductal pode provocar inflamação, levando a um quadro muito parecido com o da mastite.
• Gravidez – o desenvolvimento das mamas durante a gravidez pode levar a quadros de dor não-cíclica.
• Câncer da mama – um tipo de tumor maligno do seio, conhecido como doença de Paget da mama, é um forma incomum de câncer da mama que pode provocar inflamações, ulcerações e dor no seio.
• Cirurgia prévia da mama – após a cicatrização do tecido mamário devido a uma cirurgia ou biópsia, a mama intervencionada pode apresentar quadros de dor não-cíclica.
• Medicamentos – algumas drogas podem causar dor não-cíclica nos seios, como por exemplos: antidepressivos (fluoxetina ou sertralina), pílulas anticoncepcionais, metronidazol, clomifeno, espironolactona e outros.

Principais causas de dor extra-mamária



Principais causas de dor extra-mamária. Foto:Divulgação

Principais causas de dor extra-mamária. Foto:Divulgação



Algumas mulheres com mastalgia podem ter, na verdade, problemas fora da mama, como dor muscular na região do tórax, lesões nas costelas, herpes zoster, fibromialgia, problemas de coluna, etc.

A maioria das mulheres que procura o seu ginecologista por conta de dor nos seios, o faz pelo medo do câncer de mama. Felizmente, esse medo é infundado na maioria dos casos.

A verdade é que a dor mamária é um sintoma muito mais relacionado a doenças benignas da mama do que ao câncer. Menos de 3% das mulheres que apresentam dor mamária como único sintoma acabam descobrindo que a origem da dor era um

Em muitos casos, a dor mamária desaparece com o tempo, sem que nenhum procedimento seja necessário. Em outros, simples mudanças da dieta e de hábitos de vida podem ajudar. Cortar gorduras, parar de fumar e reduzir o consumo de cafeína parecem ser efetivos em alguns casos. Mulheres com seios grandes devem trocar o tamanho e o tipo do sutiã, de forma a mantê-los com melhor suporte. As mulheres que praticam corridas ou outras atividades físicas que causem intensa movimentação dos seios devem usar “sutiãs esportivos” de forma a mantê-los mais “presos”. Entretanto, caso a dor persista, o mais indicado é procurar um médico.

O meu objetivo nesta matéria é relatar sobre Entenda os riscos de dores nos seios e tambem tirar suas duvidas, se está a procura de informação ou como encontrar o produto ou telefone de contato de empresas sobre: dor nos seios , estiramento do ligamento de cooper , cisto no seio , dor forte na mama , ectasia.ductal , "cisto nos seios" , alteracao na intensidade da dor nos seios , cisto nos seios , dores no seio , ectasia ductal ,

Entenda os riscos de dores nos seios

Deixe seu comentário

(Não divulgado)


Informe os numeros:





"As imagens presentes nesta matéria são reproduções de materiais já existentes. Caso tenha algum direito sobre as mesmas, entre em contato conosco para incluir os créditos ou solicitar a retirada."

Fique por dentro

Cadastre seu email e receba nossas novidades