Pesquisar:

Vitrine: poderosa ferramenta de vendas

Vitrine: poderosa ferramenta de vendas 17 comentários

Vitrine: poderosa ferramenta de vendas

Por: Marwan Makdesi
Portais da Moda - Vitrinas

Moda Shopping Atacado

Já dizia Chacrinha, o velho guerreiro, que “quem não se comunica, se...”. Num mundo cada vez mais movido a informação, o antigo ditado é mais válido do que nunca. Especialmente se o “comunicador” em questão for uma empresa ou alguém que precisa vender produtos ou serviços. E qualquer pessoa de razoável inteligência sabe que a comunicação é arma indispensável para se vender. Silenciosamente ninguém vende nada.

Trazendo essa premissa para o varejo de óptica, é possível dizer que dentre todas as formas de comunicação (cartazes, banners, letreiros, sites, malas-diretas, anúncios, entre outras), a vitrine (ou vitrina) é uma das mais poderosas ferramentas de vendas.

Vitrine da Boutique de Cristian Lacroix. Foto:style.com

Vitrine da Boutique de Cristian Lacroix. Foto:style.com



Vitrine da Levis. Foto:style.com

Vitrine da Levis. Foto:style.com



Vitrine da Juicy. Foto:style.com

Vitrine da Juicy. Foto:style.com



Vitrine da Juicy. Foto:style.com

Vitrine da Juicy. Foto:style.com



O glamour presente na vitrine da Dior. Foto:style.com

O glamour presente na vitrine da Dior. Foto:style.com


Não só na óptica como em qualquer outro segmento de varejo, a vitrine corresponde ao marketing mais imediato que um lojista pode lançar mão para conquistar o consumidor. Ter uma vitrine bem montada, sedutora, que atraia a atenção e desperte nos clientes o desejo pelos óculos, muitas vezes é o segredo do sucesso.

Visual Merchandising
Antes de falar dos conceitos sobre vitrine, vale a pena abrir um parêntese mercadológico para exemplificar importância desse tipo de comunicação.
O vitrinismo é considerado hoje uma área do chamado Visual Merchandising, ou seja, a técnica de mercado que se baseia em seduzir o cliente por meio do apelo visual. É criar uma aparência que estimule, de forma consciente ou não, o consumidor a comprar.

Estudiosos do vitrinismo dizem que uma exposição bem elaborada dos produtos pode ser responsável, de uma maneira geral, por algo entre 50% a 75% das vendas (o índice aumenta ou diminui de acordo com o segmento do varejo).
Vitrine de Emanuel Ungaro em Nova York. Foto:style.com

Vitrine de Emanuel Ungaro em Nova York. Foto:style.com



Grande Vitrine da Celine na DFS Galleria Macao. Foto:style.com

Grande Vitrine da Celine na DFS Galleria Macao. Foto:style.com



Vitrine da H-Star exibe jeans de forma inusitada. Foto:style.com

Vitrine da H-Star exibe jeans de forma inusitada. Foto:style.com



Vitrine da Levis. Foto:style.com

Vitrine da Levis. Foto:style.com



Sofisticação é palavra de ordem nas vitrines de Vercase. Nessa, os acessórios ganham destaque.. Foto:style.com

Sofisticação é palavra de ordem nas vitrines de Vercase. Nessa, os acessórios ganham destaque.. Foto:style.com


Apesar disso, muitos lojistas não têm acesso a informações sobre a área e não sabem exatamente o que uma vitrine pode fazer na imagem de uma empresa.
E subestimar o poder das vitrines é um erro se levarmos em conta que elas são parte de uma nova forma de consumir: hoje, as pessoas buscam nas compras sensações diferentes, diversões, estímulos, e não apenas a satisfação de suas necessidades pessoais.

Vitrine com exposição de produtos da Adidas. Foto:style.com

Vitrine com exposição de produtos da Adidas. Foto:style.com

O consultor norte-americano Paco Underhill (um dos maiores especialistas em varejo do mundo, autor dos livros “A Magia dos Shoppings – Como Tornar a Compra Irresistível” e “Vamos às Compras – A Ciência do Consumo”, que vendeu mais de 2 milhões de cópias no mundo) avalia que consumir já não é mais só um ato de suprimento pessoal ou da família, mas uma ação de diversão e entretenimento. Ir às compras, diz ele, hoje em dia tem o mesmo significado e relevância que ir ao cinema, ao teatro, viajar de férias, assistir televisão, jantar fora ou até saltar de pára-quedas, dependendo dos valores e estilo de vida de cada consumidor.
O grande desafio do varejo moderno, afirma, é criar experiências de compra estimulantes para o consumidor, capazes de encantá-lo e fidelizá-lo. Tais experiências envolvem – além do produto – a localização, acesso, arquitetura, layout, merchandising, operação e o atendimento da loja.

Dentro desse cenário, uma boa vitrine por si só é responsável por uma grande porcentagem no êxito do processo de venda.
“Pode-se dizer que as vitrines são cenários que recriam um mundo que seja sinônimo de felicidade para os consumidores, desempenhando corretamente a sua função de ser um elo entre o cliente e a loja”, define Thereza Scolese, vitrinista do Ateliê das Vitrines, de São Paulo (SP).



A cenografia da vitrine de Calvin Klein. Foto:style.com

A cenografia da vitrine de Calvin Klein. Foto:style.com



Basicamente, a vitrine funciona como ponto de encontro entre o consumidor e sua vontade de comprar. Uma vitrine ruim pode atrapalhar os negócios tanto quanto uma bem planejada pode alavancar as vendas.

“É preciso desenvolver a cultura da vitrine”, opina Anderson Leite, arquiteto da Espaço Arquitetura, de Indaiatuba (SP), região de Campinas, que desenvolve diversos projetos – inclusive para ópticas – no interior paulista (a Espaço assina o projeto do novo showroom do Grupo Tecnol e projetos do Grupo Ópticas Ipanema, em diversas lojas na região de Campinas). “A vitrine tem que ter luz, tem que ter vida. Tem que ter cara de sucesso!”, define ele.






Vitrine de Emanuel Ungaro em Nova York. Foto:style.com

Vitrine de Emanuel Ungaro em Nova York. Foto:style.com

Pontos fundamentais
A vitrine deve chamar a atenção, provocar surpresa. Em uma cidade como São Paulo, por exemplo, onde milhões de consumidores vivem um turbilhão de imagens e notícias, chamar atenção é uma tarefa difícil.

No entanto, com um pouco de criatividade, bom senso e atenção a alguns pontos cruciais, é possível obter excelentes resultados.
A Convergência ouviu diversos especialistas em arquitetura e vitrinismo e elaborou uma relação atualizada sobre os principais conceitos que envolvem uma boa vitrine.

Vamos às principais dicas:
Função/Definição – A vitrine tem por objetivo despertar no consumidor o desejo de posse, atrair o cliente para dentro da loja e provocar nele o impulso de compra. “A vitrine deve ser encarada como um elo entre o cliente e a loja. Sua função é ao mesmo tempo estética e comercial. Quando pensamos em vitrines, vários adjetivos nos vêm à mente, mas certamente não há adjetivo mais adequado do que "sedutoras", justamente porque essa é a sua função: atrair, seduzir, conquistar o cliente”, explica Thereza Scolese, do Ateliê das Vitrines.

Planejamento e público-alvo – O planejamento é fundamental na hora de compor uma boa vitrine. Antes de sair espalhando os produtos, é preciso avaliar o perfil do negócio e da clientela, definir os objetivos de vendas e o público-alvo. A localização do estabelecimento também influencia. Está em um bairro operário? Num shopping? Na área central da cidade? A cidade é grande? Média, interiorana? Tudo isso conta na hora de decidir a decoração.

Um perfil mais popular de consumidor, por exemplo, pode preferir vitrine com maior quantidade de produtos (sem poluir), pois isso representa mais preços e variedades que dirão a ele se são acessíveis ou não. Ao passo em que um público médio valoriza vitrines mais elaboradas, limpas e com programação visual distinta.
Iluminação – Ponto crucial, a iluminação requer atenção cuidadosa e criteriosa, para que contribua sempre para o realce do produto – e nunca para a confusão visual do consumidor!
. Foto:style.com

. Foto:style.com



Iluminação dá Destque na vitrine da Gucci. Foto:style.com

Iluminação dá Destque na vitrine da Gucci. Foto:style.com



A disposição dos produtos na Vitrine Louis Vuitton. Foto:style.com

A disposição dos produtos na Vitrine Louis Vuitton. Foto:style.com


Dois tipos de iluminação são os mais usados: luz pontual, tipo “spot”, que pode ser concentrada em cada produto que se quer destacar (boa pedida para óculos); ou luz difusa, geralmente para compor o plano de fundo ou o ambiente por inteiro.

Em geral, recomenda-se que a quantidade de luz na vitrine seja maior do que a luz externa.
Cores – As cores têm a peculiaridade de interferir no humor ou na emoção das pessoas, desanimar ou inspirar uma compra ou ativar um estado emocional (é a chamada psicodinâmica das cores). Muitas despertam impulsos de compra sem que o cliente sequer se dê conta disso. São importantes.
Na verdade, não existe uma regra ou receita para o uso de cores que não seja o bom senso. Mas uma boa dica é evitar trabalhar mais de três ou quatro cores diferentes, para não causar poluição visual.

Importante também é harmonizar as cores dos produtos com as do ambiente. Recomenda-se evitar muito brilho (afinal, quem tem que brilhar na vitrine é o produto!).
Loja de shopping X loja de rua – Têm a mesma importância, porém devem ser trabalhadas de forma diferente. Nas lojas de shopping, o consumidor geralmente tem mais tempo para parar, analisar, pensar, apreciar; ao contrário das lojas de rua, que precisam de uma comunicação ainda mais rápida com o consumidor que está de passagem, apressado. Nesse segundo caso, o ideal é trabalhar o uso de displays e outras imagens que chamem a atenção do consumidor.
Especialmente em lojas de rua, um problema nas vitrines é o reflexo causado pela luz do dia. Uma dica valiosa é buscar alguma inclinação no vidro para eliminar os efeitos indesejados.

Vitrine Suntuosa da Dior . Foto:style.com

Vitrine Suntuosa da Dior . Foto:style.com



Vitrine não é estoque! – Parece óbvio, mas é bom deixar claro: vitrine não é o estoque. Por isso, nada de aproveitar cada milímetro do espaço para colocar produtos. Dez em dez especialistas dizem que o excesso de produtos é o erro mais comum na vitrine. Produtos em demasia só criam poluição visual. E a percepção visual fica prejudicada quando muitos elementos se misturam. Portanto, siga uma regra básica na Arquitetura: Menos é Mais.

Se a intenção é expor um grande número de produtos, o mais correto é dividi-los em pequenos grupos (nichos) e diminuir o tempo de exposição de cada grupo.
Critérios na seleção – Apenas os produtos mais estratégicos para a empresa devem ir para a vitrine. Os produtos devem ser selecionados levando-se em conta o perfil da loja, de seus clientes e público-alvo. Um erro comum, sobretudo em óptica, é usar a vitrine para expor toda uma coleção de determinada grife ou estilista. O mais indicado é escolher um ou dois modelos que mais se identificam com aquele estilista, com aquela marca. Isso ajuda no item anterior: evitar excesso.

Periodicidade da vitrine – Assunto complexo, a vida útil da vitrine varia muito em função de tudo que a envolve (localização, tipo visual, perfil da loja, tipo de cliente, etc). Não há uma regra, mas é preciso ter em mente que a exposição de um mesmo visual satura muito rapidamente o cliente. A segunda vez que ele olhar para a vitrine jamais causará o mesmo impacto que a primeira. Por isso, diz-se que as vitrines são “efêmeras”.

Vitrine da Louis Vuitton explora os tons pastéis para evidenciar o branco dos acessórios. Foto:style.com

Vitrine da Louis Vuitton explora os tons pastéis para evidenciar o branco dos acessórios. Foto:style.com

Os especialistas recomendam que uma vitrine não fique mais de 15 a 30 dias sem alteração. Mesmo nesse intervalo, a recomendação é ir trocando produtos.
Distribuição dos produtos – Os objetos mais percebidos pelos consumidores são aqueles colocados a 1,60m do piso da vitrine.O ideal é deixar os produtos ligeiramente abaixo da linha de visão do consumidor. Produtos no chão tendem a ser desvalorizados.

Nas vitrines maiores, para evitar a continuidade de informação visual é interessante intercalar expositores de diferentes alturas.
Vitrine sozinha não vende – É importante lembrar que, apesar de essencial, a vitrine não pode jamais ser a única responsável por fisgar o cliente e fazê-lo comprar. Não adianta entupir a vitrine de produtos e nem deixá-la magnífica achando que isso fará esgotar os estoques. A vitrine levanta a bola, fazendo com que o consumidor seja atraído e entre na loja. Mas a partir desse ponto, a bola está com os vendedores, com o pessoal do atendimento. Atenção, simpatia, técnica, treinamento e muito profissionalismo serão os pontos essenciais para a concretização da venda.

Visual da loja influencia – Além da vitrine, o ambiente interno e o layout da loja também precisam ser trabalhados para que as vendas se concretizem a partir da sedução exercida pela vitrine. Por isso, a vitrine deve ter uma identidade visual condizente com a identificação corporativa do restante da empresa e de seu público.
Segundo Gilberto Rose, consultor de Administração do Sebrae-SP, o varejista precisa ficar atento a vários fatores, que vão desde a disposição física dos itens que compõem a planta da loja, a organização dos equipamentos, móveis, até a facilidade na circulação dos clientes, pintura, paredes e pisos internos. Tudo isso conta.
Criatividade antes de tudo – Em suma, o ideal mesmo é contratar um profissional especialista (principalmente para os lojistas que não têm tempo de dedicar atenção especial às vitrines). No entanto, nem sempre há recursos. Além disso, nem sempre também grandes investimentos representam boas idéias ou são garantia de sucesso. Muitas vezes, vitrines criativas são feitas com materiais de baixo custo.

Portanto, o mais importante para uma boa vitrine – além de observar os critérios básicos – é o bom senso e a criatividade. Mãos à obra e boas vendas!




O meu objetivo nesta matéria é relatar sobre Vitrine: poderosa ferramenta de vendas e tambem tirar suas duvidas, se está a procura de informação ou como encontrar o produto ou telefone de contato de empresas sobre: conceito de vitrine , vitrinismo dicas , vitrines vendas , como fazer uma boa vitrine , vitrines de oticas , como fazer uma vitrine , como fazer vitrine , como fazer uma bela vitrine , como fazer uma vitrine de loja , manual de vitrine: ...sua ferramenta de marketing pdf , leia também:

17 comentários para "vitrine: poderosa ferramenta de vendas"

Carregando formul�rio
  • olá queria fazer um curso de vitrinista em passo fundo , pois na minha cidade não tem sou natural de soledade .. gosto de decorar vitrine e gosto muito dessa área de decoração pois se vc poderia me ajudar obrigado .....

    rafael rosa

  • estou abrindo uma loja de moda country e gostaria de uma ideia de como montar uma vitrine e iluminação para valorizar o meu produto e atrair a atenção do consumidor sem gastar muito. grata

    sueli angelica de oliveira

  • boa tarde, acompanho o site de vcs, e gostaria de saber como funciona para anunciar. sou vitrinista, gostaria tbm de saber se é possivel colocar minha logomarca. aguardo contato.

    hÉllen martini

  • olá... estou pensando em fazer um curso de vitrine e gostaria de saber se tem esse curso aqui em campinas... já trabalhei em loja e sempre gostei de fazer vitrines!!obrigada

    vanessa

  • olá... estou pensando em fazer um curso de vitrine e gostaria de saber se tem esse curso aqui em campinas... já trabalhei em loja e sempre gostei de fazer vitrines!!obrigada

    vanessa

  • oi gostaria de reformar as vitrine da otica,gostaria que enviasse,modelos das utimas tendencias ou site especializados em vitrines de oticas

    silvana

  • oi gostaria de reformar as vitrine da otica,gostaria que enviasse,modelos das utimas tendencias ou site especializados em vitrines de oticas

    silvana

  • tenho uma loja moda masculino, e preciso de uma ideia criativa e diferente para vitrine do dia dos namorados e do dia dos pais.

    glaucia

  • tenho duvidas como fazer uma boa vitrine e gostaria de saber se tem algum curso especifico que possa nos ajudar!!obrigado.

    alex maritan

  • oi ,estou fazendo um trabalho de vitrine no colégio gostaria de dicas de vitrines e layouts externos de joalheria.

    silvia

  • de que ano é a notícia? p.s: por favor entre em contato o mais breve possivel,preciso para por no meu tcc

    bÁrbara

  • estou reformando uma loja de otica e presentes,fiz projeto mas não gostei muito . o que faço? obrigada

    maria rosa

  • existe curso de vitrines via internet? caso exista podem me indicar ? obrigada,

    maurilia

  • dicas importantes para quem às vezes nao tem um censo sendo principiante

    jordana

  • gostaria de fazer um curso de vitrinismo pela internete como fazer?

    vandenice cordeiro pego martins de

Carregando formul�rio "As imagens presentes nesta matéria são reproduções de materiais já existentes. Caso tenha algum direito sobre as mesmas, entre em contato conosco para incluir os créditos ou solicitar a retirada."

Receba notícias no seu
email - Portais da Moda